IBGE inicia o Censo Agro 2017

Realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), neste mês de Outubro, após 11 anos, começou em todo o Brasil o Censo Agropecuário 2017. A pesquisa vai durar cerca de cinco meses e contará com cerca de 20 mil profissionais. O número de estabelecimentos agropecuários que estes profissionais irão visitar é superior a 5,3 milhões, distribuídos em cerca de 5,5 mil municípios Brasil afora. 

O que é um Censo?

O recenseamento demográfico, mais conhecido como Censo, é um estudo estatístico que serve como ferramenta de pesquisa do governo, possibilitando o recolhimento e avaliação de diversos tipos de informações referentes a uma população específica, podendo esta ser um grupo de pessoas que se enquadram em um mesmo coletivo, ou uma cidade, país, etc. Este tipo de estudo é feito normalmente de 10 em 10 anos na grande maioria dos países. 

Através do censo, que é uma pesquisa onde uma população específica responde a questões normalmente de forma quantitativa, o governo consegue extrair números estatísticos relacionados ao número de pessoas de uma determinada região ou grupo, através de informações como: onde vivem, quem são, em que condições vivem, quanto ganham, etc. Estas informações são valiosas para fazer o diagnóstico da população em questão, além de auxiliar no planejamento, prioridades e objetivos para o melhor desenvolvimento da mesma.

Agro Censo 2017

Em sua décima edição, sendo a última realizada em 2006, o Censo Agropecuário de 2017 tem como objetivo mapear todas as informações relevantes que envolvem a agropecuária brasileira. São cerca de 42 questões que deverão ser respondidas pelos produtores e os resultados vão auxiliar na definição das políticas e planejamentos que envolvem o setor na próxima década.

O setor agropecuário é muito dinâmico e sofre constantes mudanças devidas principalmente à incorporação de novas tecnologias e inovações. Além disso, o agronegócio é um dos mais importantes setores econômicos do país, influenciando diretamente em todo o resto da economia do Brasil. Para auxiliar o governo a traçar o perfil da população agro do Brasil, deverão ser respondidas questões que resultarão em informações como: quem é a população que vive no campo, quantos são, como vivem e do que vivem (o que produzem).

A coleta das informações será inteiramente digital e feita através de um aplicativo criado pelo IBGE e instalado nos Dispositivos Móveis de Coleta (DMCs), que contará com GPS integrado para auxiliar o recenseador a se localizar e também ser localizado, permitindo que o questionário do censo seja preenchido apenas nos locais corretos.

Dificuldades Orçamentárias

Apesar de ser o setor mais importante da economia brasileira, que afeta diretamente mesmo quem não possui atividades ligadas ao agronegócio, o Censo Agropecuário 2017 passou por dificuldades durante seu planejamento, principalmente envolvendo verba.

Segundo o presidente do IBGE em entrevista ao G1, o Agro Censo 2017 é menor do que o planejado inicialmente, sendo que dentro dos cinco anos de preparação, houveram momentos onde a verba foi totalmente cortada. Oficialmente, com cerca de 50% da verba planejada inicialmente, algumas medidas tiveram que ser tomadas. A implantação das DMCs (Dispositivos Móveis de Coleta) foi uma delas, que ajudou a diminuir o custo e manter o nível de qualidade das informações.

Outras questões técnicas, de contratação e treinamento, também foram obstáculos durante o processo. Porém, é no campo onde o recenseador encontra a maior dificuldade, uma vez que se trata de estabelecimentos que vão desde enormes fazendas, até pequenos produtores familiares.

Lembrando que para garantir a identificação do recenseador, é importante estar atento ao uniforme, crachá com foto e QRcode que permite confirmar os dados do profissional diretamente no site do IBGE.

Saiba mais direto no site do IBGE: https://censos.ibge.gov.br/agro/2017/