Agrometeorologia: o que é e qual sua importância?

Agrometeorologia: o que é e qual sua importância?

No segmento da produção agronômica existem fatores que influenciam diretamente nos resultados de uma boa ou má safra, independente de qual o plantio. Elementos climáticos e suas mudanças são alguns desses fatores que influenciam não só na plantação em si, mas também na incidência de pragas e doenças nas plantas.

Para tentar manter ao máximo um planejamento consistente, envolvendo estratégias de maximação de lucros e minimização de danos, existe uma área da agronomia que estuda especificamente estas mudanças no tempo: a Agrometeoroplogia.

O que é Agrometeorologia?

A agricultura é um dos mais importantes segmentos econômicos do Brasil, porém, é uma área que trabalha com riscos. O monitoramento das condições climáticas é essencial para a criação de estratégias que visam um lucro maior e a diminuição de prejuízos decorrentes das condições meteorológicas, dentro da produção agronômica.

. A influência das condições climáticas é tão grande na produção agrícola que pode chegar a resultar em uma ótima safra, ou mesmo prejuízo total. Alguns dos fatores que afetam diretamente as plantações e são extremamente importantes de monitorar são:

  • Distribuição de Chuvas;
  • Umidade do Ar;
  • Temperaturas mínimas e máximas (do ar e do solo);
  • Geadas e Ventos;
  • Radiação solar;

A meteorologia é o estudo da previsão das condições climáticas, ou seja, a agrometeorologia é a aplicação destes estudos às necessidades dos agricultores, auxiliando-os a criar estratégias de investimento e determinar que tipo de plantação vá render mais. Além disso, claro, ajuda a planejar ações de maximação de lucros e diminuição de prejuízos

Avanços             

O esforço para desviar dos fatores de risco por parte dos empreendedores agrícolas é grande, porém, os avanços tecnológicos vêm colaborando e muito na melhora da precisão das previsões do tempo. Além disso, combinando os avanços tecnológicos na área de meteorologia com outros avanços relacionados ao plantio de forma mais direta, como cuidados com o solo, por exemplo, resultam em uma redução significativa nas perdas e prejuízos.

O uso de satélites e softwares cada vez mais avançados e especializados tanto na área de meteorologia quanto na área de produção agrícola, também fizeram com que os empreendedores da área corressem atrás para modernizar suas plantações e maximizar suas produções.

Os Perigos do Efeito Estufa

Outro fato importantíssimo que a tecnologia avançada vem monitorando cada vez mais de perto é o aumento no buraco na camada de ozônio. Como já sabemos, o uso de combustíveis fósseis e poluição crescente do ar, aliados ao desmatamento, são apenas alguns dos fatores que contribuem para isto acontecer, e os resultados são extremamente negativos para todo o ecossistema do planeta, e isso inclui a agricultura.

A atmosfera está cada vez mais doente e os resultados podem ser irreversíveis. O famoso efeito estufa, efeito que recebe nome em referência às altas temperaturas de estufas agrícolas, resulta em aumento de temperaturas e alta incidência de radiação solar, o que dificulta e muito a produção de bens agrícolas. O resultado disso será escassez de alimentos e recursos naturais e crises alimentares na população, que também vem crescendo.

Resumindo: para manter a população do planeta Terra viva e o equilíbrio do ecossistema, o estudo e cuidados com o clima e a atmosfera do planeta são essenciais.

Conclusão

Com uma facilidade maior de programar o plantio e a colheita com mais eficiência, o produtor agrícola consegue criar estratégias até para a aplicação de defensivos e fertilizantes. Tendo em vista que o clima afeta inclusive a incidência de doenças e pragas, além de maximizar os lucros reduzindo os danos relacionados ao mau tempo, os produtores conseguem também manter mais saudáveis suas plantações.

Com os avanços tecnológicos e a precisão cada vez maior da previsão do tempo, o agricultor consegue programar o cultivo de lavouras que são tem mais chance de prosperar nas condições climáticas previstas na região onde se encontra sua propriedade rural. Com um controle maior em mãos, o monitoramento deve ser recorrente para evitar grandes danos e perdas e a produção mais eficiente. 

Veja também